Cortinas de bebê, dicas para escolher!

Pensar na decoração do quarto do bebê é tudo de bom! No entanto, é preciso prestar atenção em alguns detalhes, como as cortinas de bebê. Saiba como escolher!

“O meu bebê dorme igual a um anjo”! Essa frase é um sonho pra mamães de bebês. Além de questões peculiares da criança, existem outros fatores que influenciam na soneca dos pequenos, como é o caso das cortinas de bebê.

Preparar o quarto é um dos momentos mais prazerosos da mamãe – e do papai também. Imaginar como será o berço, as cores das paredes e toda a decoração, mexe com o imaginário maternal.

Se você está montando o quarto do seu bebê ou deseja fazer alguma mudança para que ele sinta-se mais confortável, continue a leitura. Vamos falar de um item que faz a diferença não só na decoração, mas nos momentos de descanso: cortinas de bebê.

A importância das cortinas de bebê

Se engana quem pensa que as cortinas de bebê são apenas um detalhe decorativo. Elas têm a função de deixar o ambiente mais aconchegante e tranquilo. Além disso, ajudam a diminuir aquela claridade que incomoda os pequenos e atrapalha o “soninho da tarde”.

Quartos que possuem uma ou mais janelas de frente para outras moradias, por exemplo, necessitam de um modelo que ofereça privacidade ao ambiente.

Tipos de cortinas de bebê

Antes de decidir qual será o o tipo mais adequado entre os modelos de cortinas de bebê, é importante avaliá-los. Os modelos mais usados são:

  • Cortina blackout: esse tipo de cortina serve para diminuir a luz solar no quarto. Para que não fique com um visual muito pesado, pode-se incluir uma cortina mais leve por cima, como o modelo de voil. O blackout também serve como isolante térmico.
  • Cortina de voil: o tecido voil é mais barato que os demais modelos, bem leve e fino. É bastante usado para sobrepor a cortina blackout ou para ambientes que não recebem tanta claridade.
  • Cortina bandô: a cortina bandô permite que sejam aplicadas várias figuras infantis, deixando a decoração do quarto mais divertida. Porém, para não exagerar na dose e criar um monte de distrações e dificultar o soninho do bebê, é preciso um pouco mais de atenção.
  • Persiana: essa é a opção mais prática, já que permite a regulagem para a entrada da claridade. Realizar a limpeza das persianas costuma exigir apenas um pano úmido.
  • Rolo: moderno, o estilo rolo costuma ter os tecidos mais pesados. Se o desejo é dar um pouco mais de sofisticação, essa é uma excelente escolha.

Não esqueça que as cortinas de bebê devem estar de acordo com o restante da decoração.

Cores para cortinas de bebê

Definir a cor (ou as cores) das cortinas para bebê segue o mesmo pressuposto do restante da decoração do quarto, principalmente as do enxoval. Cores mais suaves, como o branco, azul e rosa claro, ajudam a tornar o ambiente mais tranquilo e aconchegante. Apostar no verde, lilás ou amarelo claro, também vale.

Se o quarto tiver as paredes claras ou totalmente brancas, a cortina pode ser em tons mais “alegres” ou com estampas coloridas. Em contrapartida, paredes com cores mais vibrantes recebem melhor as cortinas em tons mais claros. Para harmonizar, pode ser um tom abaixo do tom do quarto.

Cuidado com a posição das cortinas

Evite instalar cortinas muito próximas ao berço do bebê. A peça costuma reter poeira e ácaro nos ambientes, o que pode gerar rinites e, em casos mais graves, até mesmo a asma.

Para evitar complicações com alergias e problemas respiratórios, é aconselhável lavar as cortinas de bebê com uma frequência maior do que as demais.

Agora que você sabe mais sobre as cortinas de bebê, é hora escolher o melhor modelo para o quarto do seu anjinho. Aproveite para ler os demais conteúdos do nosso blog!